Um Feliz Natal!

Museu de automóveis e aeronaves Eduardo Matarazzo irá fechar.

O Museu Eduardo Matarazzo, localizado na cidade de Bebedouro, estado de São Paulo, irá fechar as portas. Em carta à imprensa a herdeira e responsável pela manutenção do acervo informou sobre a reabertura do Museu após reformas nas instalações e também sobre o encerramento das atividades no dia 22 de janeiro de 2017, motivado pelas dificuldades financeiras de se manter as instalações e, principalmente, pelo descaso do poder público para com o Museu .

O fundador

Eduardo André Matarazzo nasceu na cidade de São Paulo, no ano de 1932, filho de Francisco Matarazzo Junior, e neto do imigrante italiano Francisco Matarazzo que chegou ao Brasil, vindo de Salermo na Itália, em 1887. Apaixonado por automóveis se especializou no restauro de carros antigos e aos poucos foi incorporando ao seu patrimônio uma coleção de automóveis, motores e maquinas em geral. Transferiu o seu acervo para a cidade de Bebedouro , terra natal de sua esposa e aos poucos a coleção também incorporou aeronaves e máquinas de guerra.  Em 1968 celebrou um acordo com a prefeitura da cidade e surgiu então um museu aberto a visitação pública. Após sua morte, em 2002, o Museu passou a ser administrado por sua filha, Patrícia Matarazzo que em sua homenagem mudou o nome do museu para o nome do pai, sendo a partir de então o “Museu Eduardo André Matarazzo”.

 

 

 

 

Saab Scandia                                                               Vickers Viscount

 

O acervo

Este museu possui um acervo bastante eclético em termos de máquinas, privilegiando principalmente os automóveis, grande paixão do fundador. Nos dois salões principais contam-se dezenas de veículos de grande valor histórico, a maioria fabricada entre o início do século passado até os anos 50. São predominantementes de origem norte americana (47 unidades) e européia(24 unidades), mas há também 18 automóveis de origem brasileira.  Ainda na área interna encontram-se itens bélicos como torpedos, minas, canhões, peças e motores. Também há motocicletas, tratores, maquinas de tear, holofotes, escafandro, maquinas de datilografar, etc.  Alguns dos 19 aviões também estão expostos ali , suspensos acima dos carros ou sobre pedestais.

Na área externa há maquinas pesadas como locomotivas, tanques de guerra, caminhões e diversas aeronaves de médio e grande porte. Encontram-se ali, provenientes da VASP, o único exemplar existente do SAAB 90 Scandia  e os quadrimotores Vickers VIscount e Douglas DC-6A. Também estão no local , com pinturas da VARIG, um Convair 240 e um Douglas DC-3, além de um Lockheed Lodestar e um Curtiss C-46 provenientes da ARRUDA e um B-25J ex FAB. Após décadas expostas no tempo estas aeronaves encontram-se em processo de deterioração.

 

 

 

 

 

 

 

Fechamento

Na mensagem  encaminhada à cidade de Bebedouro a administradora do museu, Patrícia Matarazzo relembra os “quase 49 anos de história, luta e dedicação para com a cidade de Bebedouro, que se encerram por não termos mais recursos financeiros para continuar mantendo a instituição em funcionamento “. Também deixa claro não se tratar de uma decisão política. Na sequencia , a administradora fala sobre o acordo firmado com a prefeitura, através do qual o município se encarregaria da manutenção das instalações e o fundador  e proprietário cuidaria do acervo. Através desta parceria a coleção esteve sempre aberta ao público e o município ganhou grande visibilidade .  Entretanto, com o passar dos anos o município deixou de cumprir o acordado, alegando falta de recursos. Neste quase meio século de atividades o museu sofreu com duas enchentes que causaram severos danos ao acervo e a família sempre bancou os reparos com recursos próprios. Patrícia também revela uma mágoa para com a cidade  ao escrever “o Museu, para os cidadãos bebedourenses, pertence a família Matarazzo enquanto ela paga as contas, se cuida sozinho e mantem as portas abertas para que a cidade possa dizer que tem uma atração turística. E passa ser visto como Propriedade do Município quando a família pede auxilio, cobra a Cidade sobre suas obrigações ou decide que não quer mais mantê-lo. E mais, uma propriedade do Município, porem, cuja a obrigação de cuidar continua a ser da Família. Pois, em tempo algum, a cidade ou sua população pretendeu arcar, custear, cuidar e manter o Museu. Esta ambiguidade impediu que se percebesse que a Família Matarazzo se dedicou com amor e afinco a cidade de Bebedouro e permitiu que fosse vista publicamente uma coleção que É PARTICULAR. Investindo altíssimas somas neste projeto que não lhe trouxe retorno financeiro nenhum, jamais.”

No final ela cita tentativas de se apossarem do acervo da família, sendo a mais recente em novembro de 2016, quando um promotor de justiça da cidade entrou com um pedido de tombamento do acervo. A data de fechamento  e encerramento das atividades será o dia 22 de janeiro de 2017, entretanto ela deixa uma porta aberta ao dizer que a decisão poderá ser revista caso o município providencie funcionários para atendimento do público e manutenção externa e também retome as atividades de manutenção do prédio.

 

Nota do Editor: Lamentamos e muito a notícia. Com tanta verba desperdiçada pelo Ministério da Cultura patrocinando atores, cantores e artistas, vários deles bem situados no cenário cultural brasileiro, não vemos empenho na manutenção da história do país, com museus à míngua e dependendo exclusivamente de seus fundadores para mante-los. Causa estranheza um promotor pedir o tombamento do acervo, pois se o município não consegue sequer manter o prédio como manterá o acervo, de valor infinitamente maior que a estrutura física do local?  Esperamos que o bom senso prevaleça e a prefeitura retome a manutenção das instalações.

 

Fotos e reportagem: Reinaldo Neves

 

.

 

 

 

 

 

Aeronaves da FAB estão em vôo, trazendo os corpos das vítimas do vôo Lamia 2933.

 

Aeronave C-130 Hércules da FAB. Três destes cargueiros estão nesta missão.

A Força Aérea Brasileira está realizando a operação de traslado dos corpos das vítimas do acidente com o avião da Lamia. No desenrolar desta missão uma aeronave C-99 transportou 24 passageiros para Medellin, entre eles, representantes dos Ministérios das Relações Exteriores, dos Esportes e da Saúde, além de membros da Polícia Federal e da Prefeitura de Chapecó.

Hoje, dia 02, três aeronaves C-130 Hercules decolaram de Manaus, com intervalos de 15 minutos e após 4 horas de vôo sobre a selva amazônica chegaram a Medellin . Estes aviões, sediados no Rio de Janeiro, já haviam se deslocado com suas tripulações e aguardavam o início da operação a partir da Base Aérea de Manaus. Cada avião transportou 8 tripulantes e também membros do Cenipa, convidados para participarem das investigações do acidente. Após uma cerimônia realizada no Pátio de Estacionamento das aeronaves, membros das Forças Armadas da Colômbia os embarcaram através das rampas de cada avião. Os aviões começarão a chegar a Manaus a partir das 23:30 e após o trâmite alfandegário decolarão em um vôo de aproximadamente 6 horas direto para a cidade de Chapecó. Somente então, após desembarcarem os corpos da equipe e comissão técnica é que os militares da FAB retornarão aos seus lares. No total, serão mais de 24 horas ininterruptas de pousos, decolagens, abastecimentos e demais procedimentos.

Considerando o percurso Rio – Manaus – Medellin – Manaus – Chapecó – Rio, cada cargueiro C-130 terá voado mais de 10.000 km.

 

Primeira edição da Asa Brasil, convenção para Agenda de Shows Aéreos no Brasil.

Aconteceu em São Paulo  a primeira edição da ASA – Brasil, uma Convenção para Agenda de Shows Aéreos no país. O evento congregou organizadores, patrocinadores e demonstradores que atuam nos diversos eventos aeronáuticos do Brasil. O objetivo da Convenção  é alcançar o ideal de estimular os jovens a seguir as carreiras de aviação, levando alegria e emoção para todos os que assistem e participam de shows aéreos.

 

Nos dois dias, os cerca de 120 participantes assistiram a 13 palestras, que versaram sobre segurança, planejamento, marketing, patrocínio, regulamentações diversas, modelos de outros países e uma Agenda para 2017. O evento foi organizado pela Esquadrilha da Fumaça e o local escolhido foi o Campo de Marte, aeroporto estrategicamente situado na capital paulista, palco também de um show aéreo anual. Praticamente todos os demonstradores e organizações atuantes no Brasil enviaram representantes. Devido ao amplo diálogo entre os participantes, as atividades do ASA BRASIL foram concluídas com sucesso, sendo inclusive elaborado um documento com as possíveis datas para 2017, documento que auxiliará a Fumaça em seu planejamento anual, com a possibilidade de se atender a todas as datas .

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte e fotos :  Esquadrilha da Fumaça

 

Luto, no Futebol e na Aviação.

O futebol é uma das grandes paixões do povo brasileiro. A aviação também está presente em nosso DNA, herança de Dumont e outros conterrâneos pioneiros .  Todos nós, brasileiros, estamos neste momento tristes e pesarosos com a tragédia do time da Chapecoense, catarinenses que tão bem vinham representando o país na competição sulamericana. Nós, entusiastas da aviação, temos um pesar ainda maior por esta passagem ter acontecido em uma aeronave, máquina que tanto apreciamos. Mas neste momento, futebol e aviação nada mais significam, o futuro irá esclarecer causas e conseqüências jurídico/administrativas. Hoje, agora, em todo o país, os nossos pensamentos, orações e preces estão voltados para as famílias enlutadas pela perda.  A dor desta perda está doendo, e muito, em todos nós.

Nossos sentimentos e pêsames aos familiares das vítimas do BAe 146 sinistrado.

 

Powered by WordPress | Designed by: Best SUV | Thanks to Toyota SUV, Ford SUV and Best Truck