Show da Esquadrilha da Fumaça em Mariana,MG.
4291
post-template-default,single,single-post,postid-4291,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,qode-theme-ver-18.1,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.2,vc_responsive

Show da Esquadrilha da Fumaça em Mariana,MG.

A Esquadrilha da Fumaça apresentou-se domingo, dia 06 de novembro na cidade de Mariana, MG.  Na cidade estava sendo promovido o evento “Projetando um novo horizonte”, em alusão a tragédia ambiental ocorrida há um ano na mineradora Samarco. As sete aeronaves chegaram no Aeroporto da Pampulha as 11:30, sendo apoiados por um avião C-95M da Base Aérea de São Paulo.  Após o debriefing dos tripulantes, os pilotos gentilmente posaram para fotos junto as aeronaves e posteriormente se dirigiram para o Cassino dos Oficiais.

Em Mariana o público aguardava o início da apresentação junto ao palco montado no Parque Mina Del Rey, local de realização de eventos na cidade.  Por volta das 17 horas o prefeito agradeceu a presença de todos e também à Fumaça, revelando que este show seria originalmente em  lagoa Santa, mas a Esquadrilha concordou em transferir o local , privilegiando o evento de Mariana. O Major Costa assumiu o microfone e a partir daí narrou a sequência da apresentação, esclarecendo a dificuldade de se apresentar o display completo em virtude das condições climáticas. As 17:30 a esquadrilha iniciou sua apresentação e durante cerca de meia hora encantou a multidão que compareceu ao Parque. Devido a localização do Parque, muitas aproximações para as manobras   foram executadas sobre a cidade, o que levou todos às ruas para assistirem as passagens e acrobacias. Esta apresentação foi marcante também para um dos integrantes da equipe, o TCel Escobar, que após 5 anos encerrou ali sua participação na Fumaça.

Encerrando o show  as aeronaves realizaram uma passagem em formação  e o Comandante,TCEl Caldas , enviou uma mensagem de agradecimento, vinda diretamente de seu avião, o número 1. Retornaram a seguir para Belo Horizonte.