Tápio 2021: Sucesso em sua quarta edição.

O Exercício Conjunto (EXCON) Tápio 2021, realizado pela Força Aérea Brasileira (FAB), a partir da Base Aérea de Campo Grande (MS), foi encerrado no dia 3 de setembro, após mais de tres semanas de atividades. O adestramento registrou mais de 800 horas de voo, aproximadamente 330 surtidas, cerca de 30 aeronaves empregadas, 16 Esquadrões e Unidades de Infantaria, e mais de 900 militares treinados. As atividades foram marcadas pela interoperabilidade entre as Forças Armadas e pelas missões compartilhadas com aeronaves e militares da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF).

O treinamento simulou um cenário de guerra irregular, com a composição de Forças-Tarefas e Alertas focados na Busca e Salvamento em Combate (CSAR, da sigla, em inglês, para Combat Search and Rescue).


O Diretor do Exercício e Comandante da Base Aérea de Campo Grande, Brigadeiro do Ar Clauco Fernando Vieira Rossetto, acredita que um dos grandes desafios do EXCON Tápio 2021 esteve no fato da atividade ser combinada e conjunta, pois busca a interação entre as três Forças Armadas do Brasil, além da USAF. “Ao final, o saldo foi positivo no sentido de conhecermos novas técnicas, táticas e procedimentos dentro da máxima operacionalidade e segurança. Estamos em evolução, demonstramos isso para a sociedade. E estamos preparados para as operações de paz da Organização das Nações Unidas”, acrescenta.

Na quarta edição, esse conceito de interoperabilidade entre Marinha do Brasil, Exército Brasileiro e FAB foi intensificado, principalmente, por meio do emprego de Força Tarefa de Operações Especiais. Militares foram integrados na execução de diversas Ações de Força Aérea, como Guiamento Aéreo Avançado, Infiltração por meio de salto livre operacional, Exfiltração de ambiente hostil e Ação Direta. As missões envolveram componentes do Grupamento de Mergulhadores de Combate (GRUMEC) e do Batalhão de Operações Especiais dos Fuzileiros Navais (Tonelero) da Marinha do Brasil; do Comando de Operações Especiais (COpEsp) do Exército Brasileiro; e do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (PARA-SAR) da FAB.

 

Representante da USAF, a Comandante da 105th Airlift Wing da Stewart Air National Guard Base, Brigadier General Denise M. Donnell, considera o exercício importante por conta da troca de informações e experiências entre os dois países. “Integramo-nos como uma equipe, aprendemos uns com os outros e tivemos uma frutífera troca de informações e expertise para fortalecer as duas equipes e, mais uma vez, construir essas relações entre Brasil e Estados Unidos”, completa.

O Co-Diretor do EXCON Tápio 2021 e Comandante do Grupo Operacional da Base Aérea de Campo Grande, Coronel Aviador Mateus Barros de Andrade, explica que o planejamento do exercício acontece pelo menos um ano antes, e que a Marinha e o Exército sempre têm participado do delineamento de ações, reforçando o conceito de interoperabilidade. “Treinamos bastante, atingimos todos os objetivos e temos a certeza que estamos preparados para o emprego no cenário de guerra irregular”, acrescenta.

A primeira fase do EXCON Tápio ocorreu de 10 a 13 de agosto, no Campo de Provas Brigadeiro Velloso (CPBV), em Novo Progresso (PA), na região conhecida como Serra do Cachimbo. Já a segunda fase foi realizada na capital sul-mato-grossense e simula um cenário de guerra.

A FAB empregou no Exercício aeronaves das Aviações de Caça, Transporte, Reconhecimento e Asas Rotativas. Foram treinadas Ações de Força Aérea em uma possível participação da FAB em missões de paz da Organização das Nações Unidas (ONU), contribuindo para a ordem e a paz mundial em compromissos internacionais, garantindo a soberania, integridade territorial e defesa patrimonial, e provendo ajuda humanitária.

Texto : Cecomsaer, FAB

Imagens : Reinaldo Neves ( Asas Metálicas)