CRUZEX 2018, a raridade do evento, A-4 Skyhawk da Marinha do Brasil !
7660
post-template-default,single,single-post,postid-7660,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,qode-theme-ver-18.1,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.2,vc_responsive
 

CRUZEX 2018, a raridade do evento, A-4 Skyhawk da Marinha do Brasil !

CRUZEX 2018, a raridade do evento, A-4 Skyhawk da Marinha do Brasil !

Desenvolvido na década de 50, visando atender as necessidades da Marinha norteamericana, este pequeno jato de ataque superou todos os requisitos do programa, no tocante a velocidade, alcance e capacidade de carga. Provou também ser um longevo combatente e após sucessivas atualizações sobrevive até os dias de hoje, nas cores da Marinha do Brasil.
Comprados do Kuwait, no final dos anos 90 e nunca tendo sido utilizados em porta aviões, o lote de 23 aeronaves pertenciam a última versão do avião, a A-4KU. Aqui foram nomeados como AF-1 Falcão, e AF-1A. Após uma década de uso a Marinha assinou um contrato de modernização com a Embraer , visando aumentar a sua vida útil.
O processo de modernização, iniciado em 2009, previa um total de 12 aeronaves, sendo 03 modelos biplace e 09 modelos monoplaces. Entretanto, após a desativação do Porta aviões São Paulo,  a Marinha optou pela redução do número de aviões, mantendo um total de 06 aeronaves, sendo os 03 modelos biplaces e mais 03 modelos monoplaces. Desta forma, mesmo sem ter a previsão da aquisição de um porta aviões nos próximos anos, a doutrina de utilização das aeronaves de asas fixas será mantida. Estas aeronaves modernizadas tiveram sua vida útil prolongada para os próximos 10 anos.
Na Cruzex 2018 a Marinha enviou duas unidades do jato, o monoplace N-1008  e o biplace N-1022  . Nesta edição do evento os dois foram os aviões mais cobiçados pela mídia internacional, em função de sua raridade. Nossa Marinha opera o único esquadrão naval do mundo equipado com o Skyhawk.