A Tragédia de Brumadinho
7319
post-template-default,single,single-post,postid-7319,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,qode-theme-ver-18.1,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.2,vc_responsive
 

A Tragédia de Brumadinho

O dia está amanhecendo, os primeiros raios de sol aquecem o topo das árvores e aqui, na comunidade do Córrego do Feijão , os bombeiros já iniciaram o seu trabalho, dando continuidade aos serviços pesados interrompidos durante a madrugada. Reunidos desde as 06:00 h em frente a igrejinha, o grupo está recebendo o briefing das atividades do dia e as devidas orientações. Aos poucos os helicópteros vão chegando e as equipes partem para a área atingida, iniciando um revezamento que se estenderá ininterruptamente até o cair da noite.

No entorno da Igreja Nossa Senhora das Dores, há uma grande operação de apoio aos envolvidos no resgate. Um grande Quartel General foi montado , com um constante fluxo de policiais, bombeiros, imprensa, caminhões e caminhonetes trazendo água e alimentos . E a todo momento, os helicópteros pousando e decolando, transportando os bombeiros para a área de buscas e, eventualmente, trazendo corpos das vítimas. Somente os bombeiros militares e os militares de Israel trabalharam na área  atingida pelo lamaçal, os voluntários e apoio não tiveram acesso .

Conversando com os bombeiros pude constatar o grau de entrega à missão, estão motivados, ansiosos para embarcar e atuar no local das buscas.  Uma perfeita coordenação aérea permite que diversas aeronaves operem no pequeno campo de futebol, com grande margem de segurança . No local estiveram em operação o Eurocopter  EC-145 prefixo PR-UEA,  Helibrás AS350 Esquilo prefixos PP-BBM, PP-SAV, PP-ESQ (Polícia Civil ), PP-EJK (Policia Militar), PP-OBM ( Rio de Janeiro)  e o Bell 407 prefixo PT-YZG (Polícia Rodoviária). Os demais helicópteros operaram a partir da Base montada em Brumadinho.

Na Base de  Córrego do Feijão encontramos bombeiros civis voluntários auxiliando nos trabalhos. O governo do estado recusou a ajuda de bombeiros que vieram de outros estados, ordenando seu retorno. Somente cinco bombeiros foram autorizados a atuar na Base, todos provenientes de Osasco, SP.  Pertencem ao Instituto Corpo de Bombeiros Civil Voluntários do Estado de São Paulo e atuam a partir de 2 bases na cidade sede. O Cmt Osmar Ferreira nos falou da atuação do grupo nos desastres de N.Friburgo, enchentes de Sta Catarina e no apoio à Defesa civil de Osasco.  Aqui em Brumadinho estão auxiliando no recebimento de corpos, controle de acesso e outras tarefas administrativas.
Ombreando com os bombeiros militares avistamos vários israelenses utilizando enxadas, pás e as mãos na remoção de detritos procurando por vítimas dentro dos destroços de um  ônibus soterrado. Pertencem a uma unidade que está sempre 24 horas disponível para atuar em qualquer parte do país e também do mundo. Já estiveram atuando em diversas calamidades em outros países. O foco é resgatar vidas, entre escombros e soterramentos, infelizmente aqui em Brumadinho a lama as ceifou.

Cães farejadores
Diversos cães estão trabalhando junto com seus parceiros humanos. Conhecemos o Sgt Welesson e o Border Collie “Bolt” ! Ele é um dos muitos cães que estão sendo empregados com sucesso nesta tarefa, tanto pelos bombeiros de Minas Gerais quanto por bombeiros de outros estados e também de Israel. Bolt tem 3 anos de idade e o Sgt Welesson diz que ele terá uma vida ativa até por volta dos 8 anos, quando se aposentará. Tradicionalmente, após encerrar a carreira o tratador o leva para sua casa.

O site asasmetalicas se solidariza com as famílias atingidas por esta catástrofe e parabeniza a todos os heróis que estão trabalhando incansavelmente para minorar a dor e o sofrimento de todos.

Texto e imagens: Reinaldo Neves



 

.

No Comments

Post A Comment